O que é histerectomia? Tipos, antes e depois da cirurgia + riscos


Você sabe o que é histerectomia? Em síntese, é a cirurgia de retirada do útero, realizada por um médico ginecologista. Existem vários motivos que podem levar uma mulher a ter que passar por esse procedimento, como, por exemplo, câncer de colo de útero, miomas ou endometriose. No entanto, há mulheres que passam pela cirurgia, apenas para prevenção da gravidez.

A histerectomia consiste na retirada do útero, trompas e ovários. Porém, isso depende de qual tipo de cirurgia escolhida e indicada pelo ginecologista. O tempo de recuperação do procedimento dura de três a oito semanas, e pode ser um pouco difícil para a mulher.

Então, sem mais delongas, a Área de Mulher separou todas informações sobre o que é histerectomia, quais seus tipos e prevenções, para que você fique por dentro de tudo antes de realizar a cirurgia. Continue lendo e descubra!

O que é histerectomia?

via GIPHY

A histerectomia é uma cirurgia ginecológica que consiste na retirada do útero e, em alguns casos, das estruturas associadas (trompas e ovários). Essa cirurgia é indicada para mulheres com doenças como por exemplo, o câncer de colo do útero, infecções, câncer nos ovários, miomas, endometriose, hemorragias ou prolapso uterino.

Além disso, algumas mulheres, após terem filhos, podem realizar o procedimento para prevenção de uma futura gravidez.

Tipos de histerectomia

Tipos de histerectomia
Ella Craig

Existem três tipos de histerectomia, sendo elas:

  • Total: Retirada do útero e do colo do útero;
  • Subtotal: Retirada do corpo do útero, mantendo o colo;
  • Radical: Remoção do útero, do colo, da região superior da vagina e de parte dos tecidos ao redor desses órgãos.

Além disso, existem quatro formas que a histerectomia pode ser feita, sendo assim, confira abaixo:

  • Histerectomia abdominal: Primeiramente, neste procedimento, é feito um corte no abdômen, pelo qual o cirurgião faz a remoção do útero;
  • Vaginal: Procedimento onde o útero é removido através de um corte na vagina;
  • Laparoscópica: Neste tipo de procedimento, o cirurgião insere um pequeno tubo através de cortes realizados na barriga da paciente. Sendo assim, a cirurgia é realizada através de vídeos, sem necessidade de grandes cortes.
  • Robótica: Por fim, a histerectomia robótica é realizada da mesma forma que a laparoscópica, mas no lugar de médicos(as), são máquinas que realizam o procedimento.

Quais preparos pré-operatório?

O que é histerectomia? Tudo que você precisa saber sobre a cirurgia
Guia da cirurgia

Antes de realizar a cirurgia é imprescindível que você mantenha hábitos de alimentação saudáveis, além disso, lembre-se de informar seu médico sobre qualquer uso de medicamentos e suplementações, já que esses fatores podem atrapalhar o procedimento.

Além disso, antes de tudo, você precisará realizar alguns exames, como, por exemplo: Exame de Papanicolau, Ultrassonografia pélvica, Biópsia do endométrio e exames pré-operatórios padrão.

Cuidados pós-cirúrgicos

Globo Esporte

Depois de realizar a histerectomia é normal ter sintomas como cólica abdominal, sangramento vaginal e dificuldade em urinar. Provavelmente o(a) médico(a) responsável pela sua cirurgia irá te indicar analgésicos, anti-inflamatórios e antibióticos para aliviar a dor e evitar infecções.

Além disso, existem alguns cuidados super importantes recomendados pelos profissionais, sendo eles:

  • Repouso de 3 meses (evitar pegar pesos e fazer movimentos bruscos)
  • Evitar contato íntimo por 6 semanas;
  • Realizar caminhadas leves, para melhorar a circulação e evitar riscos de ter trombose.

Complicações e riscos da histerectomia

Manaus Alerta

Dependendo do grau da sua cirurgia, pode ocorrer alguns riscos de lesões das estruturas afetadas. No entanto, esses riscos são mais propícios a acontecerem com pessoas que são obesas, que têm diabetes ou pressão arterial elevada.
Entre as complicações que podem acontecer está sangramento intenso, infecções pós-cirúrgicas, danos em órgãos adjacentes e reações à anestesia.

Após a histerectomia, a mulher não irá mais menstruar e nem poderá engravidar. Entretanto, a vida sexual se manterá normal, tendo diminuição da libido apenas em pessoas mais velhas, em processo de menopausa. Nesses casos, é indicado uma terapia de reposição hormonal.

Então, o que achou dessa matéria? Confira também: Pontadas no útero – Principais causas e exames para detectar.

Fontes: Minha vida, Tua saúde, Mulher consciente.
Fontes das imagens: El Universo, Globo Esporte, Manaus Alerta, Ella Craig, Guia da Cirurgia Plástica.

Artigos Recomendados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *