Enzimas digestivas: precisamos delas?


Enzimas digestivas: precisamos delas?

Pode até ser que você ache que não tem problemas com a digestão. Porém, a suplementação com enzimas digestivas ajuda na absorção dos nutrientes que necessitamos a partir do que comemos – desde vitaminas e minerais, até macronutrientes, como proteínas, carboidratos e gorduras. Assim, nutrindo e fornecendo energia de forma mais eficiente às células. Será que não seria útil uma ajudinha para que nossa digestão seja perfeita?

O que são enzimas digestivas?

As enzimas digestivas são proteínas com função de “quebrar” macromoléculas em porções menores, facilitando sua absorção no organismo através do intestino. Elas podem ser produzidas naturalmente pelo corpo ou ingeridas a partir da alimentação ou suplementação, assim acelerando as reações químicas do organismo.

Para fazer uma boa refeição, é essencial prestar atenção além dos alimentos. Certamente, a seleção de ingredientes que vai compor o seu prato é importante. Mas também importante é perceber seu corpo, e como ele digere os nutrientes. Afinal de contas, não adianta comer pensando apenas no perfil nutricional e, logo após a ingestão, ainda sentir desconforto digestivo.

Enzimas digestivas: precisamos delas?

Como as enzimas agem?

Quebra de lactose: Para ser absorvida, a lactose precisa ser quebrada em componentes menores: a glicose e a galactose. Depois de absorvidos, esses componentes desempenham papéis como fonte de energia e componente de glicolipídios e glicoproteínas.

Quebra de proteína: As proteínas são quebradas em aminoácidos, que têm diversas utilidades no nosso organismo. Eles estão envolvidos na reparação muscular, na produção de energia durante atividades físicas, na síntese de colágeno e elastina, na sinapse neuronal e em vários outros processos fundamentais ao organismo.

Quebra de carboidrato: Os carboidratos funcionam como o combustível do organismo. Fornecem energia para o cérebro, a medula e os nervos periféricos; atuam na produção das células vermelhas do sangue e na articulação dos ossos, entre outras funções.

As enzimas podem ser usadas em caso de refluxo?

Sim! O refluxo ocorre quando a válvula entre o esôfago e estômago não se fecha adequadamente. Assim, o que está no estômago volta para o esôfago causando irritação, sensação de queimação e azia. Para lidar com o refluxo, o médico pode optar por sugerir o tratamento com enzimas digestivas manipuladas, para auxiliar o processo digestivo e potencializar a absorção dos nutrientes.

Beneficios das Enzimas Digestivas

Enzimas digestivas: precisamos delas?
  • Melhoram a absorção de vitaminas e minerais.
  • Amenizam sintomas digestivos adversos, como inchaço, azia e prisão de ventre.
  • Colaboram para que o processo digestivo seja feito sem desconfortos.
  • Melhoram o trato digestivo e diminuem irritações no intestino, ocasionadas pela má digestão.
  • Ajudam a equilibrar a microbiota e manter a saúde intestinal.
  • Regulam o sistema digestivo diante do processo de envelhecimento, no qual, naturalmente, o corpo passa a produzir menos enzimas.
  • Complementam dietas que são pobres de alimentos com enzimas digestivas.

Quais os sintomas quando o organismo está produzindo pouca enzima?

A partir dos 40 anos nosso organismo já começa a produzir menos enzimas. Então se você possui alguns desses sintomas, é sinal que já seria útil suplementar.

  • Presença de alimentos não digeridos nas fezes
  • Esteatorréia (presença de gordura nas fezes)
  • Diarréia ou constipação
  • Gases e inchaço
  • Perda de peso não intencional
  • Sintomas de desnutrição
Enzimas digestivas: precisamos delas?

Tipos de Enzimas Digestivas

Existem vários tipos de enzimas, mas há três tipos especialmente importantes: a lipase, a amilase e a protease.

1. Lipase

A lipase é a enzima responsável pela quebra das gorduras, ou seja, atua sobre os lipídios, transformando-os em ácidos graxos e glicerol.

2. Amilase

A amilase é uma enzima com função de quebrar os carboidratos, mais especificamente o amido, transformando-o em maltose e glicose.

3. Protease e Bromelina

A protease, assim como a bromelina, é uma enzima digestiva que quebra as proteínas, promovendo a melhor absorção desse macronutriente no organismo.

4. Glicoamilase

Auxilia na quebra do amido, transformando-o, assim, em glicose.

5. DPP-IV

Tem ação sobre a caseína e o glúten, substâncias alergênicas e muitas vezes responsáveis por gases e inchaço.

6. Lactase

Auxilia na quebra da lactose (açúcar do leite), transformando-a em glicose e galactose.

7. Pepsina

Desempenha a função de quebrar macromoléculas adquiridas pela alimentação em moléculas menores assimiláveis pelas células. Essas reações só se tornam possíveis pela ação enzimas, proteínas de ação catalisadora.

8. Papaína

Exerce papel importante na hora de ajudar a tornar moléculas maiores encontradas nos alimentos em partículas mais fáceis de serem absorvidas e que o corpo pode realmente usar para obter energia. A papaína auxilia na digestão de proteínas e está relacionada à inúmeros benefícios à saúde.

9. Betaína

É um suplemento de ácido clorídrico. Ajuda a combater a deficiência de ácido clorídrico e regular os níveis de suco gástrico, melhorando assim a azia e má digestão.

10. Hemicelulase

É capaz de digerir as hemiceluloses (polissacarídeos que, juntamente com a celulose e a pectina, formam a parede celular dos vegetais).

A baixa produção de enzimas gera uma sensação semelhante à de quando comemos muita pizza ou de quando nos alimentamos com algum alimento ao qual temos intolerância.

E você, usa as enzimas para melhorar a qualidade da sua digestão?

Artigos Recomendados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *